25 de março de 2013

Sobre homofobia, modernidade e avós



Bom, antes de ler o meu texto, sugiro que você dê uma passada de olho por aqui:
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/luizfelipeponde/1251678-voce-tem-cabeca-aberta.shtml

Leu?
Ah, que mentira. Leu porra nenhuma.
Mas ok, vamos continuar assim mesmo.


Bom, começo esse texto com uma frase que não sei se é de minha autoria, mas não interessa também: 
"o pior da modernidade são os moderninhos"

Você vai a um bar descolado com a sua turma, pede um suco de laranja sem açúcar acompanhado por um belo tofu (porque é moderninho ser vegetariano e não beber) e começa a falar com seus amigos bissexuais (porque quem não tem amigos bissexuais é considerado retrógrado, né?) sobre o quanto você apoia o comunismo (porque o comunismo é o pensamento das pessoas avançadas intelectualmente).

Todo mundo se diz "cabeça aberta" hoje em dia. É muito bonito falar sobre o que você aceita, mas será que todo mundo consegue falar sobre coisas que você não aceita? 

Exemplo pessoal: Dois homens se beijando tranquilamente num shopping: tudo bem. Dois homens se agarrando de forma praticamente pornográfica na praça às duas horas da tarde: não está tudo bem. De qualquer forma, também não aceito um homem e uma mulher se pegando dessa forma na frente das pessoas. 

Agora, apresento um outro exemplo um pouco diferente: minha avó morava em frente ao local onde foi realizada uma parada gay aqui em Divinópolis: ela se escandalizou. Quem pode julgá-la por isso? Ela foi criada assim. Vão dizer que ela é homofóbica? Tá aqui uma verdade: ELA NÃO É HOMOFÓBICA. Na época em que ela foi criada, nem esse termo existia.

E aí? Se você é moderninho, você condena toda forma de homofobia. Você condena a minha avó por não achar certo homens e mulheres se agarrando bêbados na rua, sem nenhum escrúpulo, em plena luz do dia? 

Eu fico do lado da minha avó. 
Até mesmo porque ir contra a própria vovó me parece moderninho demais.

3 comentários inúteis:

  1. Guria, procuro me interar das coisas do mundo, porém, sei que é impossível ser abrangente de forma integral ( é muita coisa nova acontecendo!).

    Primeiro, ser moderno (é ser ultrapassado), afinal, somos contemporâneos.

    Em relação ao tema, escrevo em primeira pessoa mesmo, penso que, ser livre para manifestar o pensamento é amparado inclusive por lei constitucional ( veja no artigo V), entretanto, quando expomos nossos reais pensamentos ( sem cinismo) criamos sistuações delicadas, pois, as pessoas ditas "modernas", preferem ouvir aquilo que lhes agrada e, logicamente que concorde com seus posicionamentos.

    Não hajo dessa maneira nunca, pois ( ferem meus princípios). Tratando-se de liberdade de escolha, prefiro as minhas, mesmo que, pagando caro por elas, na maioria das vezes.

    Não tenho certeza de quem citou assa frase, - quer fazer inimigos, diga a VERDADE-, tremendamente oportuna e atual, ninguém gosta de ver ou ouvir posicionamentos contrários aos seus ( é intrínsico ao humano). Quanto aos comportamentos é a mesma situação, todos se acham no direito de fazer o der "na telha", "NÃO È ASSIM" que funciona, tudo é relativo e limitável, pois vivemos em sociedade -não somos ilha- há que ter civilidade e compartilhamento de espaço e respeito aos pares

    Para não me alongar no comentário, ( rsrsrs) vou deixar uma conclusão refletiva sobre a visão de muitas e muitas que tenho visto ultimamente, vai lá: No inicio do tempos ( primórdios) o homem vivia em estado "natural", tinha :liberdade, privacidade ( e privações), sobrevia por extinto mesmo. Depois vieram os tempos modernos; evolução de todas as formas, facilidades, inventos diversos, "exploração do homem pelo homem", guerras, genocídeos, expropriações,etc. Mas o pior estava por vir, "O Hoje": vida banalizada, os valores fundamentais também, "Deus" foi privatizado, o amor é volatil demais, honestidade é burrice, privacidade é loucura, drogas "são da hora", adolescente matar é normal e nem crime é, pai e mãe é familia ultrapassada, homem x "homem" pode, mulher x"mulher" também, etc...

    O fim está próximo, um novo ciclo vai acontecer em breve, como sempre ocorre, de tempos em tempos o mundo se "recicla ou restarta" e começa tudo de novo.

    Tu estás prepararado(a)? O estado natural é inevitável, buscaremos por certo, o paradigma dos irracionais para o recomeço sustentável de uma vida digna.

    Ps.: Ainda não estou louco, apenas quase!

    ResponderExcluir
  2. ******* Art. 5º, Inciso IV da Constituição Federal ...

    Realmente, há muitas coisas que aviltam e depõe contra a juventude de hoje em dia... Mas, sempre foi assim, no final das contas... Basta olhar para trás (para trás mesmo, de verdade, e não para suas costas), e ver que, hoje em dia, o mundo (e a família) é bem melhor do que antes era (por incrível que pareça).

    ResponderExcluir

Vai, comenta! Não dói nada!