19 de março de 2013

Morando sozinha(o)...




Olá queridos (NÃO!),
Decidi expor a vocês as vantagens e desvantagens de morar sozinha.

Vantagens: largar a toalha onde quiser e tomar banho no tanque. Desvantagem: Ninguém lava a sua louça.
Espero que tenham gostado. Até a próxima!...

MENTIRA!!! Vou continuar, claro, afinal a responsabilidade de dividir um apê com seu alter ego consiste em muito mais do que apenas se responsabilizar pela louça aquática interditada.
Morar sozinho(a) se resume a comer errado, dormir tarde, ouvir barulhos inexistentes de vizinhos e fazer palhaçadas para se auto-alegrar. E essas, infelizmente, são as vantagens...


A verdade é que, quando se tem uma mãe para falar “Não filho, esse mendigo não pode ser seu bichinho de estimação!!!!” as coisas parecem bem mais chatas. Não podemos comer porcarias, promover bacanais ou pendurar roupas íntimas no ventilador; e a vida parece não ter sentido. A maioria dos jovens (de Deus... NOT!) decidem então que precisam sair de casa para poder cultivar sua maconha em paz sem nenhum adulto determinando o tipo de seda que devem usar. Nasce então a tão idealizada LIBERDADE.


Alguns conseguem realizar tal sonho, outros têm a sorte de não conseguir. A lástima é que, em busca da bela liberdade, ganhamos de brinde um pacotão beeeeem pesado de responsabilidade. Aêee!!! Então você passa a louvar qualquer apartamento alheio que você visite e não encontre cabelo no chão do banheiro.
Os fiozinhos de cabelo não são nem parte do problema, os nazis por exemplo nem sofrem com isso, problemão mesmo é quando você aprende que, se um vaso cair da sua sacada e matar alguém, quem vai preso é você. Baseando-me nesse texto todo desconexo, concluo então que: é só em casa de mãe que sentamos no sofá para assistir Tv;  é só em casa de vó que usamos a mesa para as refeições, e é só na sua própria casa que o ralo vive cheio de cabelo.


ps.: Se você é sequestrador: fique sabendo que moro sozinha somente PARTE da semana. Se você é minha mãe: eu juro que não coloquei homem pra dentro de casa, mãe! To sozinha da Silva! 

XOXO,
A idiota do blog.

3 comentários inúteis:

  1. Kkkkkkkk... já passei por tudo isso na faculdade. Foi então que descobri que a louça não se lava magicamente e que as cuecas e meias não brotam na gaveta... aliás, em pouco tempo as gavetas passaram a não ter mais utilidade... Ótimo texto!

    ResponderExcluir
  2. hahahaha, Malu, aqui é a mamãe... Muito bem humorado seu texto!!! Acho q tdo mundo qdo se topa com a liberdade não sabe muito bem o q fazer com ela...mas como vc mesmo afirmou , temos q ter responsabilidades tbem, senão a vida vira de pernas pro ar... Te amo, menina guerreira, independente, sei lá , vc é muito MALU!!!!

    ResponderExcluir
  3. Por que raios minha louça está suja? Por que tem 1 quilo de pó em cima da prateleira? Por que a cesta de lixo está transbordando de papel? Por que tem pão verde na prateleira? Por que sumiu o miojo da gaveta, como vou jantar? É aí que entram as pessoas, como disse Vinícius de Morais em sua canção ´´Um Homem Chamado Alfredo´´: gente que a gente não vê. São pessoas que não são valorizadas, pois o que fazem não é evidente. Hoje está em moda causar qualquer tipo de polêmica, fazer uma revolução para que tudo continue igual. Essas são elogiadas! Feministas, ambientalistas, e qualquer tipo de ser hipócrita e politicamente correto. Tudo para mostrar! Nos detestáveis jantares inteligentes, com patricinha vomitando discursos sobre moda e sobre defesa dos animais. Orgulham-se de serem vegetarianas e mais, orgulham-se também de seu casaco de pele de animal extinto. Já, pessoas que passam a vida inteira despercebidas, pessoas que ficam anos pesquisando como evitar desastres naturais, pessoas que passam a vida sem viver apenas para que outras vivam, bem, essas não são notadas. Pode até ser que casos assim são raros. Será? É só pensar mais próximo. Nossos pais. Gente que a gente não vê. Estes sim são verdadeiros heróis, não feministas e socialitezinhos ativistas de merda.

    ResponderExcluir

Vai, comenta! Não dói nada!