22 de novembro de 2012

Em busca do corpo ideal


Faz um mês que comecei a freqüentar academia e me dei conta de uma coisa: todas as pessoas lá presentes estão em busca de um corpo ideal que não existe. Ou melhor, existe sim: em foto de capa de revista manipulada. Ou em mesas de cirurgiões plásticos de Hollywood.

Anah Uriel Santana. Fonte: Terra/Divulgação.
Fonte: Google.
Inclusive, tem um monte de blogueiro(a) nessa onda de emagrecer "pra ser saudável" (leia-se ficar bonito). Quem sou eu pra julgar, mas vamos entrar nessa sendo sinceros. Como diz a Ana de Cesaro: "Ninguém gosta de ser gordo". Porém a busca pelo corpo ideal passa dos limites saudáveis de vez em quando.

Percebi na hora do banho na academia. Por que não aceitamos o corpo que temos? Gordurinha aqui e ali, uma celulite lá, mas somos bonitos, cada um ao seu jeito. ~mentira, tem gente feia pra caraio no mundo~
Não, falando sério: MUITA MENINA BONITA na academia e eu fico pegando os papos delas no ar: "Ai fulana mas eu tô uma baleira, 55kg, ninguém merece", "Ai mas o verão taí preciso ficar magérrima", "Nossa olha o tamanho da minha barriga, nunca vou pegar alguém com essa pança".

GENTE. SÉRIO. PÁRA.

Primeiro de tudo, se você não se der bem consigo mesmo(a), não há beleza que te salve ou que te arranje um(a) macho/muié. Segundo que os padrões de beleza hoje em dia (ATENÇÃO PARA O CLICHÊ) são totalmente moldados pela sociedade de consumo, impostos pela mídia e são DOENTIOS. 

Isso é doença.

Você é magra(o) e linda(o) e não consegue comprar uma roupa que se ajuste ao seu corpo, por que elas são feitas para um modelo de corpo absurdamente fake. É quase proposital pra você se sentir mal.


Como podemos definir se uma coisa ou pessoa é bela ou não? Beleza é algo cultural, em diferentes cantos do globo podemos comprovar isso. Na China, serão bonitas as mulheres orientais, brancas e de pés pequenos. Já no Ocidente, são bonitas as altas e esbeltas. Em cada lugar ela reflete algo diferente, mas em todos eles há pessoas insatisfeitas com o próprio corpo tentando atingir o padrão imposto pela sociedade.
A padronização da beleza e sua divulgação na mídia, seja através de propagandas ou da veiculação de concursos, levam as mulheres e garotas comuns, que não tem como alcançar esse padrão a recorrer a extremos, como plásticas e até mesmo distúrbios alimentares. Nem vou entrar nesse assunto de saúde... só vou deixar o recado:

SE AME antes de qualquer coisa, por que se você não se amar ninguém vai fazer isso por você. 
Valorize seus pontos fortes, melhore o que é possível melhorar dentro das suas condições físicas, psicológicas e materiais. Beleza quem faz somos nós, a partir das nossas pecularidades.

E viva a variedade.
Afinal, o que seria do vermelho, se todos gostassem do azul? ;)

0 comentários inúteis:

Postar um comentário

Vai, comenta! Não dói nada!