2 de março de 2012

Sou gorda, mas posso emagrecer!


Faz um tempo que eu meu marido percebemos uma coisa comum em 99% das pessoas hoje em dia: são gordas. Homens e mulheres. É como se ninguém mais se cuidasse, ou todo mundo resolveu viver à base de McDonalds. Não é só uma questão de estética, mas de saúde, e não estou falando daqueles pneuzinhos salientes, a bordinha de catupiry que insiste em ficar fora da calça, mas sim a PANÇA que toma conta da cintura inteira, os braços salientes e as perninhas rechonchudas: gordice.

Marielle, Malu, Carol e Alice - SÓ QUE NÃO

Nada contra gordos, já deixo claro.
Estou colocando aqui uma opinião minha sobre estética, seguido de um tapa na cara da sociedade magra que vive querendo perder 3 ou 4 quilinhos e de gordos de verdade que não fazem nada pra mudar.

As pessoas andam desleixadas e despreocupadas. O verão nos mostra essa triste realidade, mas parece que esse ano a coisa foi pior. Existe uma grande diferença entre ser gordinha(o) e ser obesa(o). E não me venha com esse papo de 'sou gordo com orgulho' por que a gente sabe que se houvesse um jeito simples e fácil de emagrecer, você faria! É saudável, bonito e faz bem pra nossa autoestima.
HOMENS: o aviso fica pra vocês também! NÃO À POCHETE!

Nem vou entrar na questão de pessoas que engordam por puro desleixo. Me irrita.
Em cerca de 1 ano ganhei 10kg, o que esteticamente não me deixa tão mal mas não consigo caber nas minhas calças tamanho 38. E não emagreço por que não quero parar de comer aquela batata suiça do almoço, aquele mousse de chocolate da sobremesa, a cerveja do fim de semana ou acordar cedo pra fazer academia. Desleixo.

Whatever, não vamos falar de mim. Meu intuito hoje é deixar o depoimento de duas amigas minhas que decidiram ficar mais bonitas e saudáveis perdendo peso. A Ana de Porto Alegre (agora em SP), que vocês conhecem por @anadecesaro blogueira do Ta e Daí?, e a Patrícia, amiga minha dos tempos que morei em Curitiba. A Ana emagrecendo na base do esforço e a Paty passando por cirurgia.



Vamos aos depoimentos!
O da Paty eu colhi via conversa de MSN e adaptei pra cá:


Patricia Bueno diz:
Acho que a minha história é diferente e mais dramática porque na verdade eu fiz cirurgia bariátrica
Eu engordei um MONTE no início do ano passado, comecei a entrar em depressão por causa do peso e comecei a ter outros problemas decorrentes: minha glicose voou, minha veia da perna esquerda estava enorme, comecei a ter problemas na costas por causa do peso, sem contar o monte de remédio pra emagrecer e pra depressão.
Meus médicos não queriam me mandar para a cirurgia, me achavam muito nova. Mas eu comecei a implorar porque não aguentava mais, coloquei na minha cabeça que era tudo por causa do peso. Qualquer coisa que acontecia era porque eu era gorda. Teve uma época em que eu não conseguia nem sair de casa.
Então minha endocrinologista me mandou para os exames pré-operatórios pra ver se eu tinha os problemas relacionados pra fazer a cirurgia, porque o meu IMC era 35 (o mínimo para cirurgia).
Aí quando fui para a perícia a minha altura estava errada, então o meu IMC estava em 40, que já é indicado à cirurgia.
Então aprovaram, e eu fiz dia 20 de junho de 2011. No inicio foi super sofrido, mas não me arrependo, faria de novo.
Nos primeiros dez dias você só se alimenta com líquidos, depois mais dez dias só com pastosos.
Só que assim: os dez primeiros diz você na verdade bebe né, de duas em duas horas e só pode tomar um copinho de café, sabe aqueles pequenininhos?
Nos outros dez dias de pastoso, é uma bolinha do tamanho de umas duas bolinhas de gude de coisas pastosas, como carne moída, purê de batata, de cenoura. Aì sim você começa a comer, mas é quase a mesma quantidade, sempre bem pouquinho. Você praticamente vive de gelatina.
No inicio você perde realmente BASTANTE peso, depois de um tempo como você começa a comer mais você perde menos, mas ainda perde.
 
Alice diz:
E não sente fome?
Patrícia Bueno diz:
Tem que tomar vitaminas que o corpo não absorve mais. Eu não sentia. Na verdade ficava com medo de comer. Mas você sente depois de uns três meses. Aí começa a aumentar a dieta mas continua perdendo peso.
O único problema é a pele. Você acaba ficando com excesso de pele embaixo do braço e na barriga, mas nada que uma academia não resolva.
Mas é outra vida, a autoestima... Nossa, é outra coisa.
A minha psiquiatra ainda me dá remédio antidepressivo, mas por precaução, ela tem medo que eu tenha uma 'recaída'.
Depois da cirurgia, cortei o cabelo Chanel, coloquei piercing no mamilo, saio com as amigas, uso umas roupas mais bonitas, é tudo diferente.
Me sinto melhor, não ligo de provocar nenhum cara, é outra coisa.
Não sinto a vergonha que sentia antes, sério, me sinto muito bem apesar dos sofrimentos, porque é tenso o pós-operatório, mas eu faria tudo de novo se fosse preciso.


A Paty estava com 105kg quando fez a cirurgia, hoje está com 75kg e continua perdendo.
Lembro de quando a conheci e acredito que a cirurgia só tenha feito bem à ela, mesmo sendo nova!



O da Ana eu fiz tipo entrevista via e-mail:

Alice: Quanto você pesava quando iniciou o projeto e quanto pesa hoje?
Ana: Puts... preciso responder isso? Carai... Eu tenho muito problema pra dizer o meu peso, muita vergonha ainda. E agora? Pode deixar essa em branco? 

Alice: Seu peso te incomodava ou interferia na sua vida social?
Ana: O meu peso nunca me impediu de fazer nada, sempre fui muito ativa, mas sim me incomodava, porém com o tempo eu aprendi a aceitar, nunca me atrapalhou na vida social porque sempre tive muita confiança, então as pessoas conseguiam ver a Ana Maria por trás da gordura.

Alice: Como foi a decisão de perder peso, qual o principal motivo? Poderia descrever como e quando tomou essa decisão?
Ana: Quando me mudei pra São Paulo eu mudei completamente a minha vida, TUDO mesmo. Então pensei, por que não mudar o meu corpo? Agora o meu peso não me incomoda, mas sei que daqui a uns 10 anos vai me encher o saco, por isso decidi emagrecer agora, que o meu corpo responde rápido, para ter uma vida mais saudável no futuro.

Alice: O que mudou na sua vida (além do peso) durante e depois de emagrecer?
Ana: Então, ainda não emagreci tudo que quero, faltam uns 15 kg ainda, mas agora eu durmo muito melhor, não como por ansiedade, aprendi a controlar os meus hábitos e sinceramente, não há sensação mais recompensadora que olhar uma roupa, experimentar e ela servir, fazia muito tempo que eu não sabia o que era isso.

Alice: Você acha que beleza é importante?
Ana: O conceito de beleza hoje em dia é distorcido, acredito que a auto estima seja importante, independentemente do que se considera feio ou bonito, se a pessoa se gosta pelo que ela é, é o que realmente importa.

Alice: Que dica você daria pras mulheres que gostariam de ter o corpo/beleza dos sonhos?
Ana: Força de vontade, se decidiu emagrecer/malhar/ganhar massa, enfim... o que for, elas DEVEM manter o plano, não desistir quando alguma coisa aparece e tentar não deslizar na dieta.

Ana antes e depois da sua decisão... e ainda emagrecendo!

Quer saber mais sobre o projeto da Ana? Leia sobre o #ProjetoAnaGostosa aqui.
E tem ainda um ótimo post sobre gordinhas no blog dela, aqui.

Meu intuito com este post é dar uma força pra galera que tem vontade de chegar à sua ideia de corpo ideal. Não ache que é impossível, não desista, corra atrás e não desista. Uns quilos a menos são uns anos a mais de vida quando você ficar mais velho, pense nisso!



E outra coisa que não custa relembrar:

                ISSO não é ser gorda.             ISSO é ridículo.                          

0 comentários inúteis:

Postar um comentário

Vai, comenta! Não dói nada!