27 de fevereiro de 2012

A hora e a vez dos gordinhos!


Sempre achei uma grande bobeira essas coisas de "ele não faz meu tipo" e tudo o mais. Mas de uns tempos para cá notei em mim mesma uma certa preferência por um "tipo" peculiar de homens. Tem as mulheres que preferem os divertidos, outras que preferem os bem-sucedidos, e ainda tem aquelas que preferem "o que tiver pra hoje" - que, aliás, é uma forma muito legal e fácil de se levar a vida sem critérios.
Analisando todos os esteriótipos, descobri que não me encaixo em nenhum citado acima e nem mesmo em muitos outros que vemos comumente por aí (ex: gostar dos bombados, gostar dos magrelos, gostar dos loiros ou dos morenos). O que me apetece, de verdade, sendo muito sincera, falando francamente para vocês, é: um gordinho!
Sim, aquele cara que a maioria sempre fala "ah, ele é simpático" mas que ninguém pega, ou aquele que por ser realmente muito simpático acaba pegando geral... Enfim, o negócio é não ter um físico atlético e nem ser raquítico. Não sei se gordinhos estão na moda, só sei que eu tenho, ultimamente, me atraído muito por eles - e para essas coisas não há explicação, não é mesmo?

(eu mostrando que desenho muito no Paint)

Com certeza, vocês estão lendo isso tudo agora e pensando "ahã, tá bom, Carol!". Mas eu estou realmente falando sério. E para provar que estou fatidicamente falando sério, elencarei, calcada na minha alta experiência em flertar e/ou pegar gordinhos, algumas das muitas vantagens de se ter um relacionamento com alguém mais avantajado em gordurinhas.


1 - Na falta de travesseiro e/ou almofada, é só se encostar nele e, pronto, tudo resolvido. Você até esquece do mundo lá fora, dorme feito anjinha e não acorda com dor no pescoço, prometo.

2 - No caso de frio, abrace seu gordinho e terá a mesma sensação de estar embaixo de um edredom quentinho. Na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê...

3 - Não importa a hora que te der fome, ele vai tomar sair pra comer algo. Assim você não se sentirá uma gulosa desgraçada que parece que tem uma lombriga na barriga e poderá comer sem culpa até mesmo aquele X-Monster que você morre de vergonha de comer na frente dos seus amigos.

4 - Se um dia você se machucar, quebrar o pé ou até mesmo desmaiar no meio da rua, não precisará nada temer, pois seu querido gordinho poderá tranquilamente te carregar no colo para onde quer que você precise ir. Olha que legal!

5 - Por último, porém não menos interessante/importante, vem o caso "chatos da balada". Sempre tem aquela pessoa que você não curte encontrar em nenhum lugar, nem mesmo no deserto. Pois, então, com o seu gordinho do lado, ao mirar essa pessoa chata, você poderá usá-lo como escudo ou algo do tipo. Resumindo,  você poderá se esconder atrás dele, ou abraçá-lo para se camuflar. Uma mão na roda, num é mesmo?

Não sei se convenci, mas o que eu queria mostrar aqui era justamente a beleza dessa arte de adorar gordinhos. E como diria Vinicius de Moraes: "Os magrinhos/bombados que me desculpem, mas uma barriguinha é fundamental".
(Vinicius de Moraes usando toda sua licença poética, ui!)

Beijos nos gordinhos desse meu Brasil!

Obs: amem muito minhas ilustrações. Se achou ruim, fique ciente que tende a piorar.

0 comentários inúteis:

Postar um comentário

Vai, comenta! Não dói nada!