4 de fevereiro de 2012

A famosa Marcha das Vadias


Esse texto tinha como intenção mostrar minha opinião sobre a tal marcha das vadias, que foi e ainda é assunto das redes sociais e no mundo. Mas pesquisando sobre, percebi que não tenho opinião 100% formada sobre o assunto, e decidi que seria muito mais interessante apresentar dois lados: o de quem não sabe do que se trata a marcha, e a de quem tem uma ideia mais completa. As duas escritas por mim.

Sim, e o assunto é sério.



Há um tempo eu escrevi umtexto meio irônico expressando um pouco da minha opinião sobre o feminismo. 50 comentários surgiram, em grande maioria me xingando e dizendo que eu não estaria escrevendo em um blog se não fosse pelo feminismo. E mais um monte de blábláblá... Enfim. A Marcha das Vadias me trouxe de volta ao assunto.


ANTES: 
Marcha das Vadias. Mas que porra é essa? Puta desculpa esfarrapada pras minas saírem peladas (mais do que de costume) nas ruas, reinvidicando direito de ser vadia? MANO! Fala sério. Que ridículo. Nada contra querer ser vadia... mas precisa fazer marcha sobre?



DEPOIS: 
Hmm. Tem um propósito, tanto a marcha quanto o nome. Bom, bom, muito bom. Mas ainda assim alguma coisa nisso tudo me incomoda... talvez não esteja diretamente relacionada a revolta feminina, mas sim ao que o nome remete.

Vadia. Na sociedade brasileira, esse adjetivo não vai mudar de significado. Designa a mulher fácil, mulher de muitos homens, etc. A mulher que tem mais parceiros e mais vontade de sexo do que o homem. Sabe né, não pode isso. Só o homem pode. *COF*



Onde tudo começou
A Marcha das Vadias, ou slut walk no original, surgiu em Toronto, no Canadá, após um policial “aconselhar” estudantes de um campus a evitar se vestir como vadias (slut em inglês) para não serem estupradas. A declaração infeliz revoltou as estudantes, que logo realizaram uma passeata com o provocativo nome de “Slut Walk”. A proporção da manifestação contra o machismo atingiu proporções planetárias. o planeta. Algumas cidades ao redor do mundo realizaram simultaneamente a mesma parada, como Los Angeles e Chicagos (EUA), Buenos Aires (Argentina), Amsterdã (Holanda), Paris (França) entre outras. Mulheres se vestem com saias curtas, meias arrastão e decotes, num tom bem humorado, para mostrar sua revolta e dizer que a roupa não é uma forma de consentir ao sexo. Tudo isso sem a menor vulgaridade, o que demonstra que o assunto é sério e deve provocar a reflexão nos homens, para pensarem antes de cometer alguma infração, e para as mulheres terem coragem de denunciar esse tipo de agressão.
- Wikipedia


EM CIMA DO MURO: 
O que me intriga nessa história: todos sabem que sou meio contra as feministas. Não gosto do extremismo que a maioria delas apresenta, exigindo uma igualdade que não é fisicamente possível... Enfim, já gastei bastante esse assunto aqui e não to afim de gerar mais discussão ainda. Opinião é que nem cu, cada um tem o seu e guarda para dar quando necessário.

O caso é que um direito defendido pelas vadias da marcha é o de se vestir como quiserem. Sim, concordo que temos que educar nossos filhos homens para não estuprarem, mas não vejo problema nenhum em educar nossas filhas para se vestir decentemente. E quando digo decentemente quero dizer que não precisam andar na rua usando um tapa sexo como saia. Não sejamos idiotas achando que podemos ter a inocência de uma criança ao ver uma pessoa seminua: existe a libido, desejo sexual, vontade, tesao. E nós mulheres sabemos, quando queremos provocar, conseguimos. Não há porque negar que isso existe.

Não consigo achar normal uma mulher andar na rua vestida assim:


Pra mim isso é o que hoje se define como vadia. E eu não gosto de vadias, e minha filha não se vestirá assim, do mesmo jeito que meu filho aprenderá a respeitar as mulheres, mesmo que elas mesmas não se respeitem. "Ahh mas vc ja fez foto sexy, participou do lingerieday". E por acaso vc me viu andar em publico vestida assim? Ou algo se quer parecido? Existe um limite entre o sexy, o vulgar e o totalmente desrespeitoso com seu proprio corpo.

Bom, eu acredito que uma mulher que anda praticamente nua, rebolando sem calcinha em baile funk imitando atos sexuais e coisas afins, não se respeita. E quem não se respeita não pode exigir respeito. Essa marcha não vai mudar muita coisa, infelizmente. Mulher que não se der o respeito, seja pela roupa ou seja pelo comportamento, continuará a ser tratada como objeto.


"Pra mim, o nome ideal seria 'Marcha das Mulheres Livres', mas não teria tanto impacto na mídia" - Tica Moreno


Eu concordo com a Tica, mas não mudo o resto da minha opinião.

Pelo lado bom da coisa, o objetivo principal é nobríssimo, extremamente válido. Cerca de 15 mil mulheres são estupradas no Brasil todo ano. Precisamos educar tanto nossos filhos quanto nossas filhas, para que todos se respeitem e o mundo vire um lugar melhor pra se viver. Ou estaremos todos perdidos.

PS: Li e reli esse texto antes de postar e resolvi colocar no ar mesmo sabendo da revolta que vai gerar. Foda-se, não é a liberdade que estamos defendendo por aí? Não curtiu, FECHA a aba e deita na BR. ;*

10 comentários inúteis:

  1. Aplaudi seu texto de pé!
    =)

    ResponderExcluir
  2. Gostei do seu texto, mesmo sendo feminista.
    E msm o nome da marcha sendo no mínimo polêmico, foi graças a ele que a mídia resolveu divulgar, pra apoiar ou criticar, mas pelo menos cada um pode analisar e tirar sua propria conclusão ou correr atras de mais informação.
    A ideia é essa.

    ResponderExcluir
  3. Concordo totalmente!! Acredito que pedir respeito nunca é demais, porém primeiro a pessoa tem que se respeitar e se como você mesma disse a passeata surgiu porque as mulheres se sentiram desrespeitadas em serem chamadas de vadias, o que elas estão fazendo se autointitulando da mesma maneira? Sem contar que por mais que eu acredite em um tratamento sem distinção entre homens e mulheres também é imprescindível que nós saibamos como nos portar, ou se não seremos cada vez mais desrespeitadas.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com vc... mais uma vez Alice
    Falta respeito nessas mulheres de hoje (não estou generalizando) elas gostam de andar mostrando tudo e dizem que não tem nada a ver com sexo depois, que é apenas a maneira de se vestir quando na verdade a intenção é provocar o sexo masculino!

    ResponderExcluir
  5. Eu também acho... está tudo muito distorcido nessa defesa de direitos aí.

    ResponderExcluir
  6. Ai vc achando que a criatura vai ir atraz pra aprender sobre feminismo e o sentido da Marcha das Vadias QUE NAO É SOMENTE A LIBERDADE DE SE VESTIR MAS QUE LUTA POR OUTROS DIREITOS NA SOCIEDADE, a criatura reacionária vai e distorci mais ainda... e ai vc criticando as feministas se sente mais feminina? com mais caráter? boa postura?


    Porque a sua cagação de palavras que cospe preconceito é o seu proprio reflexo!




    ANTIFASCISTA SIEMPRE!

    ResponderExcluir
  7. Querida, aprende a escrever em bom português antes de vir cagar regra no meu blog.

    ResponderExcluir
  8. Luta por direitos nem ao menos se fazendo respeitar. Por isso que é esse sucesso toodo...

    ResponderExcluir

Vai, comenta! Não dói nada!