23 de janeiro de 2012

O dia em que a internet parou: S.O.P.A., PIPA e o maior protesto online de todos os tempos


Prepare-se, pois talvez ainda nesse primeiro mês de 2012 nós viveremos um dia que entrará para toda a história da internet, porque alguns dos principais serviços do mundo pretendem ter um apagão proposital para ir contra as novas leis que o governo americano tenta aprovar.
Amazon, Google, eBay, AOL e Facebook teriam fechado um acordo, onde todos eles tirariam seus sites e serviços do ar por 24 horas em uma escala global, em uma forma de protesto contra o SOPA, uma lei que pretende derrubar sites que possuam conteúdo de terceiros ou mesmo hospedem eles, ou seja, o governo terá poder quase infinito contra todos.

O dia 23 ainda não foi confirmado por todos como o grande dia, mas como à votação ocorrerá no dia 24 à data deve estar correta e talvez o anúncio oficial ocorra logo.
Como será que o mundo viverá um dia sem alguns dos maiores sites da internet? Talvez conheceremos o verdadeiro caos moderno nesse dia…
Por Diego no MiniLua
Não sei se todos vocês têm acompanhado a história, mas segue o resumo da ópera:
A ameaça mais recente à liberdade atualmente são duas leis antipirataria inconstitucionais que têm os ridículos nomes de SOPA (Lei para Parar com a Pirataria na Internet) e PIPA, ou Protect-IP (Prevenindo Ameaças Reais Online à Criatividade Econômica e ao Roubo de Propriedade Intelectual), em discussão na Câmara e no Senado. Elas darão ao governo americano e às grandes corporações o poder de tirar do ar sites como o YouTube, caso este conteúdo viole os direitos autorais de uma terceira parte (como quando postamos um trecho de um filme, de uma música, ou até de uma pessoa desconhecida CANTANDO UMA MÚSICA). O site, e não mais o usuário que individualmente postou o conteúdo, é que será responsabilizado pela violação destes direitos.

O Megaupload é um dos sites de compartilhamento de arquivos mais populares do mundo. Seu fundador e muitos administradores da empresa são acusados de facilitar milhões de downloads ilegais de filmes, música e de outros conteúdos, de causar um prejuízo de 500 milhões de dólares a detentores de direitos autorais e de lucrar175 milhões de dólares através da venda de espaços para anúncios no site e da venda de contas “Premium” para seus usuários.

O site foi tirado do ar na última quinta-feira e causou o maior protesto online da história.

“Querem transformar a internet em uma grande rede de TV a cabo”, disse o sociólogo Sérgio Amadeu, que também é conselheiro do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

Facebook e Twitter não participaram do blackout. Mas Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, postou em seu perfil na rede social sua posição contra os projetos: "A internet é a ferramenta mais poderosa que temos para criar um mundo mais aberto e conectado. Não podemos deixar que leis mal pensadas fiquem no caminho do desenvolvimento da web. O Facebook se opõe ao Sopa e ao Pipa, e continuaremos a se opor todas as leis que podem prejudicar a rede”.

Ambos os projetos de lei estavam previstos para votação na próxima terça-feira (24), mas há relatos de que a votação do  será adiada após a proposta perder o apoio da Casa Branca. O autor do Pipa, senador Patrick Leahy, afirmou que consideraria retirar as partes mais polêmicas ds proposta. Hoje, diante do apagão, o senador Marco Rubio, co-autor do Pipa, tirou seu nome do projeto. Ben Quayle, co-autor do Sopa, havia retirado seu nome do projeto ontem. (informações de Georgia Jordan, do Tele.Síntese)

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

E vocês, leitores? Até que ponto entendem e fazem parte da maior revolta online de todos os tempos? Se é assim que fazemos revoluções hoje em dia, então assim faremos!

0 comentários inúteis:

Postar um comentário

Vai, comenta! Não dói nada!