24 de outubro de 2011

Sedentarismo nosso de cada dia.


Na era do computador e do desenvolvimento das tecnologias, talvez o maior desafio da humanidade seja se movimentar. Até andar virou uma atividade secundária na vida da maioria das pessoas, quiçá fazer exercícios físicos. Minha avó chama isso de vagabundice, eu prefiro chamar de sedentarismo, você pode preferir chamar de comodidade ou falta de tempo. No fim, sabemos que tudo vira desculpa para adiar o ingresso em qualquer atividade física que, por algum acaso, você se sinta apto a fazer.
Vamos dizer, então, que apenas com o que disse no parágrafo acima lhe convenceu de que você precisa se exercitar, levantar a bunda do sofá, olhar para aquela lasanha congelada e dizer bem forte: “EU SOU MAIS FORTE QUE VOCÊ”.
Tá, eu sei que isso não rolou, mas o que importa é fingir. Agora que você é o fortão do pedaço começa logo a procurar que esporte seria mais o seu perfil. Eis aí seu desespero. Por quê? Simples: todos parecem muito prazerosos de início, mas acabam se tornando um entojo na sua vida, ou trazendo lesões ou caindo na monotonia. Duvida? Então, listarei aqui alguns.


1º Futebol: ah, é o esporte perfeito pro brasileiro, todo brasileiro nasceu para o futebol. Todo mundo que assiste a um jogo da TV sabe palpitar, analisar os lances, indicar as substituições necessárias. Logo, o futebol é tido como um esporte fácil. Ledo engano, meus caros. O desafio maior nessa vida é conseguir correr vários metros, olhando pra baixo e para frente simultaneamente, sem pisar na bola, sem deixar ninguém roubar a bola, saber a hora de dar o passe (mesmo você não sendo pai/mãe de santo) ou ainda chutar para o gol sem se desequilibrar e/ou chutar o vento.


2º Tênis: antes de tentar jogar, você acha o Guga um fresco que fica gemendo só pra rebater uma bolinha daquele tamanhozinho. Aí você se matricula, compra todo o material necessário (até aquela faixinha escrotíssima) e vai pra sua primeira aula. Primeira e última, aliás, porque depois de tentar rebater a bola 25 vezes e jurar que sua raquete está furada, você vai desistir.


3º Natação: se a aula for de manhã, você vai dizer que é ruim entrar na água; se for à noite, incrivelmente a desculpa será a mesma. E não adianta o professor dizer que a piscina é climatizada, o único clima que você encara com disposição é o da sua cama e do seu sofá.


4º Dança: você nunca vai reconhecer que é um exercício físico de verdade, isso vai lhe desestimular e você logo vai ficar em casa no horário da aula se desculpando consigo mesmo dizendo “tenho mais o que fazer do que ficar perdendo meu tempo dançando, dançar eu danço na balada”.


5º Musculação: deixei esse por último, mas com certeza vai ser a sua primeira opção que logo também será descartada. Você pode até se matricular, pagar mil meses com antecedência para se forçar a continuar indo. Essa é a tática usada pelas pessoas que pensam “vai doer no meu bolso não ir malhar tendo pago tantos meses já”. Falácia, se passará um mês, dois no máximo, e você começará a ir esporadicamente, duas vezes na semana... Aí vai chegar as férias, os amigos no bar, você vai passar a academia pra de manhã. Mas aí vai aparecer aquela preguiça de acordar cedo, aquela vontade de dormir mais cinco minutinhos e, pronto, lá se foi todo o dinheiro.


Não que eu esteja aqui para fazer o papel da chata, desestimuladora. Acho mesmo que todo mundo deveria se exercitar, eu me exercito: faço questão de almoçar na sala só para ter que fazer o trajeto do meu quarto até lá, isso é muita coisa. Afinal, só me disseram que eu deveria plantar uma árvore, escrever um livro  ter um filho, não me disseram nada sobre suar e sentir dores no corpo.
Tome esse post como um incentivo, praticamente um manual de auto-ajuda... só que ao contrário.

1 comentários inúteis:

Vai, comenta! Não dói nada!