17 de maio de 2011

A evolução das festas


Devo começar dizendo que é tudo brin-ca-dei-ri-nha e que ninguém precisa chamar a mamãe na diretoria porque a titia ta ensinando coisa errada? Acho que não né? Espero que os idiotas que dizem que eu generalizo enfiem tal argumento no...

Lá vai...
Lembram-se dos grandiosos bailes de máscaras em que as damas da alta sociedade iam sempre acompanhadas e exibiam pelos maravilhosos salões decorados seus longos e volumosos vestidos?
É claro que não!!!!!! A menos que você seja o Niemeyer e tenha vivido em 1800 e algumacoisa.
Obviamente não foi aqui que tudo começou. As festas já existiam muito antes. Se bem conheço essa raça podre da qual faço parte, tenho certeza de que foi a primeira coisa que inventaram. (Questão de sobrevivência!)

Ok, as danças eram lentas, coreografadas, mal exigiam um contato físico; os homens é que escolhiam seus pares e era de extremo mal-gosto ser visto bêbado pelo salão. Soava um tanto quanto... futurista. E não era pra menos...
Em 1950, quase 60 a coisa já estava hot hot. E eu pulei tudo isso de tempo porque é essa ferveção que nos interessa. A era rebeldezinha de seus avós; que hoje você acha a coisa mais melô do pinto murcho da década, era SIM sucesso e mobilizava multidões.
Aquela fileira de meninas de vestidos rodados abaixo do joelho e cabelos beeem “Hebe” de um lado do salão, e uma fileira de meninos com jaqueta de couro e mais gel que o Amaury Júnior pagando de malvadões do outro lado, assim como os coloridos pagam de autênticos hoje em dia. Não copiavam Justin Bieber, mas James Dean.
Aos poucos as meninas iam sendo tiradas para dançar enquanto seus pais rezavam em casa para que a boa educação que lhes deram estivesse presente no momento de NÃO, NUNCA, JAMAIS, darem “tábua” em algum menino; mas não chegar ao ponto de fazer elas encostarem o monte de papel que enfiaram no sutiã para dar volume aos seios (porque afinal, essa técnica é usada desde os primórdios da humanidade). Vale ressaltar que não somos idiotas e também conhecemos a técnica da bola de meia na cueca.
Enfim, as feias iam sobrando... o ritmo ia acalmando... os rostinhos ficando cada vez mais colados; e o que, depois de dois meses de namoro resultava em um beijinho roubado no cantinho do salão nos anos 60, nos anos 80 já resultava em nada mais nada menos do que simplesmente VOCÊ!
Nas festas dos anos 80 a putaria era praticamente liberada. Só não vendiam a palavra do Senhor pois a perversão não era total ainda. Quanto mais dark melhor. Quanto mais agressivo o visual, menos seus pais iriam gostar, mais seus amigos iriam gostar e mais parecido com a Gretchen jovem você ficaria, representando assim da maneira mais incrível essa década que só não é pior que a nossa pois não existia Luan Santana.
Agora sim a era mais criticável tratando-se de gostos, manias, costumes e afins. A década da real “putcharia”, onde pode tudo, todo mundo é de todo mundo, as baladas tem de tudo... de velhas rodando as tetas a travestis obesos dançando macarena. Mas isso não é o que mais me choca nas baladas de hoje em dia. Quer saber o que pode ser mais polêmico que mamilos?
ENTÃO VEM!!!!!!!! É NESSE SÁBADO, EM SÃO PAULO! ... 1 ANO DE TPM SEMANAL! Aêeee \o/
Rua Vergueiro 2676, Vila Mariana. Metrô Ana Rosa. Imprimindo o Flyer: R$ 20,00.
Vai ter bolo e Stripper. Mas só pode comer o primeiro.
TODAS VAI!

4 comentários inúteis:

  1. O que eu mais gosto nos teus posts são as imagens BIZARRAS que tu consegue encontrar. kkkk

    ResponderExcluir
  2. amei o blog, os textos, vcss.. parabéns!

    ResponderExcluir
  3. hauhauah!!
    as imagens da Malu são realmente ótimas!
    eu queria ir.... =\ #odeioserpobre

    parabens meninas, e boa festa!! ^^

    ResponderExcluir
  4. ahohoaoha só pode comer o primeiro é ótimO!

    ResponderExcluir

Vai, comenta! Não dói nada!