31 de maio de 2011

Desmitificando a Disney: Ariel e VOCÊ!


(Texto mais direcionado às mulheres. Mas se você é homem... lê também, pra ferrar elas depois!)
 
Olá peixinhas,
Sei que estão atônitos por mais uma historinha, mas hoje meu post dedicado ao maravilhoso mundo de Disney vai ser um pouquinho diferente. Não criticar, criticar e criticar qualquer criação do irritantemente genial Waldisney como fiz nas outras duas postagens do “Desmitificando a Disney”... Vou contextualizar nossa querida obra nos dias de hoje e, aí sim, FAZER UM ALERTA ao bando de mulher idiota que tenho visto por aí pagando de princesa da Disney, combinado?

Antes de mais nada, “A Pequena Sereia” não foi uma historinha criada por aquele velho desocupado que fez o parque em Orlando porque tava cansadinho de viver em Chicago; é um conto de autoria de Hans Christian Andersen publicado em 1800 e lá vai fumaça. (Que também escreveu “O Patinho Feio” e outras coisinhas que você deve conhecer.)


Em meio a fetiches com peixes e aves, tornou-se conhecido entre as crianças, nada mais justo! Mas vou enfatizar Walt Disney, porque é ele que ta na boca do povo! \o/
Agora, vamos (finalmente) ao conto:

Para quem não conhece a história da pequena sereia contada pela Disney (poooooohãan!), Ariel é uma jovem menina-peixe bipolarzinha que tem um pai velho chamado Tritão (que, para mim, não passa de um Poseidon frustrado). Um dia ela vira adolescente e os hormônios gritam. Decide então abrir as pernas, mas... ÓH, MEU DEUS, Ela não tem pernas! Vai em busca então de uma bruxa do mar que é metade mulher, metade POLVO (porque era gorda, e gordo sofre bullying até em historinha infantil). A bruxa dá as pernas pra biscatezinha mas, em troca, pede sua voz que, convenhamos, tava quase no estilo Sandy então a gente até apóia.
A maldita consegue as pernas mas, se não fizesse o príncipe se apaixonar por ela antes do pôr-do-sol do terceiro dia o encanto seria quebrado e blá blá blá, essa parte não interessa. O que nos interessa é a burrice dela.
Meu interesse não é expor revolta nenhuma (Não desta vez!) até porque estou invejavelmente bem no quesito príncipe encantado (mas também não invejem tanto, suas vacas, é só nesse aspecto!) Ah!!!! Enfim... Só quero mostrar a vocês como as historinhas muitas vezes, podem fazer mal às suas filhinhas...

Analisemos a escrotice da Ariel e tracemos um parâmetro com as nossas lindas adolescentes-padrão (aquelas que vão no show da bandinha da moda, copiam o cabelo dazamiga, mudam de opinião facilmente e não sabem ouvir críticas construtivas, pois são lindas, perfeitas, moderníssimas e líderes de torcida. uhuu!)
Lembrando (lógico) que não estou generalizando. Existem categorias de escrotice. Se você se encaixa nessa do “HOMEM, HOMEM, HOMEM, HOMEM, minha meta é HOMEM...” sinto muito querida, uma beija pra você!
- O que a Ariel quer? Dar. Casar. Encontrar seu príncipe encantado e ser idiota dele. Ou qualquer outra coisa do tipo...
- O que nossas queridinhas querem? Dar. Casar. Encontrar seu príncipe encantado e ser idiota dele. Ou qualquer outra coisa do tipo...
- O que a Ariel faz pra isso? Vende sua vida, personalidade, sua alma, voz, ou qualquer coisa que esteja sob sua propriedade, apesar de ter se auto-afirmado desde o começo como “a fodona auto-suficiente”.
- O que nossas queridinhas fazem pra isso? Vendem suas vidas, personalidades, sua almas, vozes, ou qualquer... (enfim, a resposta é igual.)
- Onde a Ariel acaba? NO TANQUE! Enquanto o príncipe bonitão ta lá com a gata-borralheira.
- Onde nossas queridinhas acabam? NO TANQUE! Enquanto os príncipes bonitões tão lá com as cachorras-borralheiras.
Vocês estão vendo como a vida (de vocês –se fuderam!) é uma merda?... como a Disney é uma merda?...
Acreditem minhas sereiazinhas, os príncipes não estão reservados para as princesas chatas que não liberam eles nem pro futebolzinho de domingo. Sejamos mais “duas vidas paralelas que se encantam” do que “Nós somos um só! Fudeu na hora de mijar!”.

Não estou aqui para dar conselho amoroso, deixo isso para minhas colegas de blog, mais experientes que eu. “Excesso” de amor é ruim, “falta” também. O único conselho que posso dar é “Não assistam Disney antes dos 18!”.
Grata!

9 comentários inúteis:

  1. O triste... de verdade... é que no fundo todos temos um pouco de princesa da Disney dentro de nós... ... menos na parte de dar, naturalmente...

    ResponderExcluir
  2. 3 comentários

    1- Malu Fodástica como sempre!
    2- Sereis não são boas minha gente!! São Bixas Más!
    3- Ler o texto com o negócio do Projeto tamar da um medo da porra! Vai que a Alice, digo Ariel Salta da água junto com a tartaruga? (Piada Bosta)

    Bjus Fui!

    ResponderExcluir
  3. 3- Ler o texto com o negócio do Projeto tamar da um medo da porra! Vai que a Alice, digo Ariel Salta da água junto com a tartaruga?²

    concordo com o colega (:!


    luxelipstick.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Já falei que você é FODA? Pois é.. voce é FODA.

    Sensacional !

    ResponderExcluir
  5. O fruto do meu vizinho
    Parece melhor que o meu
    Seu sonho de ir lá em cima
    Eu creio que é engano seu

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. velho, o comentário do Renan é mto vdd!!
    huahua

    foda vc heim malu? e as fotos q vc consegue? huahuah

    posso confessar uma coisa? eu tinha uma barbie Ariel, e queria um cabelo q nem o dela. hj tenho! rsrs

    ResponderExcluir
  8. Calma ae colega,também não precisa xingar neh
    Respeite a opinião das outras pessoas

    ResponderExcluir

Vai, comenta! Não dói nada!