9 de abril de 2011

Dia de Visita - Maíra Charken




Maíra Chuteira

Não tenho muita familiaridade com o futebol, confesso. Não tenho time, não acompanho campeonatos. Nada contra o esporte em si, mas me causa perplexidade todas as fatalidades provindas do fanatismo da torcida e outra: acho chato. Correria atrás de uma bola. Não entendo. E também não me pergunte nada sobre os times, os campeonatos, primeira divisão, série A, série B, YZ. Gosto, sim, do jogo em si, do lance esportivo da coisa toda, entende? Da coisa de ser um exercício físico e deixar os rapazes praticantes do tal exercício físico com coxas de encher os olhos (ou as mãos das mais sortudas). Não, gente, não sou nenhuma Maíra Chuteira, mas posso um dia ter um deslize, por que não? Se até Xuxa já teve. E falar em Xuxa sem falar de Pelé é como falar do ovo sem mencionar a galinha (qualquer semelhança foi mera coincidência).




Não acompanhei muito a carreira do “Rei”, por isso sempre me incomodou esse título que o acompanha até hoje. Rei! “Rei da onde, de quê, minha gente?”, era o que eu sempre questionava. Mas tudo mudou no momento em que resolvi escrever esta crônica. Começou, então, a minha pesquisa. Encontrei em arquivos o vídeo de um jogo muito especial (é o que diria um entendedor). América X Santos no Maracanã, pelo Torneio Rio-São Paulo, ocorrido no dia 25 de fevereiro de 1958.
Neste jogo, um moleque de dezessete anos (dezessete, meu Deus!) dominava o campo como se existissem apenas ele e a bola. Driblava todos os adversários com genialidade, técnica e realeza. Opa! Eu disse realeza? Isso mesmo, movia-se feito um rei e, a cada drible, todos se curvavam, reverenciando aquela majestade. Marcou, sozinho (sozinho mesmo, já que Pelé não passa a bola a ninguém!) 4 gols em cima do América, mais propriamente, em cima de Pompéia, que de frango não tinha nada, mas, com Pelé, sofreu momentos de pinto.


E minha pesquisa não parou por aí. Que gol foi aquele de Pelé na final da Copa de 58? Recebeu a bola na área, sob marcação do sueco, chapelou o cara, que nem mexer se mexeu e, pá, meteu o gol. Fez tudo isso rindo, esbanjando confiança. Confiança digna de um Rei. Pelé não tinha o rei na barriga, mas era o próprio e tenho certeza que foi isso que fez dele o que ele é hoje: O Rei do Futebol. Graças à sua imodéstia, prepotência, superioridade e gana, esse homem deixou sua marca no mundo e seu futebol-arte é exemplo pra qualquer garotinho iniciante. E não dá pra negar que o cara jogava pra cacete! Mordo, então, a minha língua.
E mordam todos, brasileiros! Vamos parar de criticar o que não conhecemos e nos inspirar na vida desses vencedores. Precisamos mais dessa atitude insolente do nosso craque. O Brasil precisa! Vamos ser reis das nossas vidas e driblar todas as dificuldades, os adversários. E olha que temos muitos. Amigos, medo do desconhecido sempre teremos, mas preconceito é o que nos impede de conhecer algo novo. Oquei, me rendo! Até que esse tal de futebol não é tão massante assim. Não são só coxas e panturrilhas (apesar de serem o melhor do show), mas é arte, técnica, força de vontade e tanta regrinha, meu Deus, tanto campeonato, meu Deus, tanto time, ai, ai... Tenho muito o que estudar. E, aproveitando a deixa: Alguém pode me explicar de uma vez por todas o que é impedimento?





 Maíra Charken
Atriz, comediante e escritora

6 comentários inúteis:

  1. Eu não gosto de futebol, ficar olhando aquele bando de homem correndo atras de uma bola hahaha, meu time é o Corinthians, mas tanto faz se perde ou ganha, meu bolso nao ta cheio mesmo hahaa, mas admiro quem gosta. Parabéns pelo texto ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu honestamente nao sou muito fa do Pele nao... Ele realmente foi um puta de um jogador, mas acho que virou uma pessoa extramamente arrogante por isso, e Neymar ta seguindo os passos.

    De qualquer forma, adorei o texto! Maira como sempre mandando muito bem! E a foto ta lindaa!

    ResponderExcluir
  3. Mas na minha opinião, a mensagem principal é que as pessoas realmente precisam pesquisar antes de sair comentando sobre as coisas... Atualmente tem muita gente falando coisas que não sabe...

    Mas agora, pra sua pesquisa ficar bem completa, você vai ter que ir ver um jogo ao vivo, no estádio! rsrs

    Parabéns mais uma vez!
    @dedabreu

    ResponderExcluir
  4. impedimento é quando alguém bate na porta do banheiro na hora errada...

    há uns 17k atrás eu frequentava estádio de futebol... hoje vejo tudo pela tv, mas confesso que ultimamente meu time tem sido só o brasil e olhe lá...

    @calcinhasnobox

    ResponderExcluir
  5. concorodo com o q a Bru Bastos disse ai em cima.
    o cara pode ser fodão, ganhar rios de dinehiro por isso. parabens pra ele.
    mas a vida continua!
    não é pq o meu time perdeu ou ganhou q meu humor vai ser diferente.
    (e isso não é papo de corintiana deprimida pela libertadores)
    a minha vida depende de mim, e não de um bando de gostosos-q-tem-a-cara-feia-e-a-conta-cheia correndo atrás de uma bola, POR 2H!! não tenho paciencia pra isso, nem qdo é copa do mundo, q o Brasil inteiro para pra ver!

    ResponderExcluir
  6. Comecei a odiar futebol quando vi que isso só levava a bringa entre amigos, ao invés de se reunirem para trocar idéias e conversar sobre coisas interessantes ficam discutindo, quando não brigando sobre que time era o melhor e pq nm foi alta lá, não foi penalti ali e blá, blá blá.
    Claro que não depende de mim, mas fosse o caso futebol no brasil seria igual F-1 no EUA.

    ResponderExcluir

Vai, comenta! Não dói nada!