22 de abril de 2011

Coelhinho dos ovos de ouro


Seria negligência minha se não considerasse a Páscoa como tema do meu post de hoje. Mas muito pensei até encontrar uma forma menos clichê para abordar a data e toda sua simbologia. Foi então que eu tive a estúpida brilhante idéia de trazer à tona análises de músicas de Páscoa muito plausíveis e que contribuirão bastante para a formação de vocês enquanto seres humanos melhores.



E, para começar, vamos a mais famosa, analisando estrofe por estrofe:

De olhos vermelhos
De pelos branquinhos
De pulo bem leve
Eu sou o coelhinho



Percebemos aí que a canção já começa debatendo uma questão muito polêmica em nossa sociedade: o uso da maconha pela raça dos albinos peludos e magros. É tão complicado debater o assunto que o autor da letra utiliza a metáfora do coelhinho para mascarar o tema. Mas calma que piora...

Comi uma cenoura
Com casca e tudo
Tão grande ela era...
Fiquei barrigudo

Mais POLÊMICA, minha gente. Agora, perpassa a temática da gravidez por meio do sexo oral. E encontramos mais metáforas quando o autor narra o tamanho da cenoura e como ela foi inserida na boca. E ele não pára por aí...

Eu pulo pra frente
Eu pulo pra trás
Dou mil cambalhotas
Sou forte demais

E novamente ele nos traz o tema de drogas, agora fala do uso da cocaína e como ela afeta o ritmo de quem a usa, como essa pessoa se sente imbatível e forte. E é dessa forma que ele termina a canção, canção esta que dá um tapa na cara da sociedade que pensa que Páscoa só serve para comer chocolates.

Outra música que marcou bastante a minha infância foi essa que a Eliana cantava:

Coelhinho da Páscoa,
o que trazes pra mim?
1 ovo, 2 ovos, 3 ovos assim...

Vemos aí um caso raro de um coelhinho aleijado com 3 ovos. Mutação genética é coisa séria... mas não termina ai...

Coelhinho das Páscoa,
que cor eles têm?
Azul, amarelo e vermelho também

E é assim que podemos perceber a preocupação do autor com o daltonismo infantil. E você achando que a Eliana só servia para colocar botóx na cara, hein...


Espero que, depois dessas duas músicas super politizadas que pretendem debater temas tão polêmicos quanto mamilos, vocês possam ter uma ótima Páscoa, morrendo de comer chocolate porque, afinal, é o que importa.

2 comentários inúteis:

Vai, comenta! Não dói nada!