4 de agosto de 2010

Dia de Visita - Mya Pacioni


É com muita honra e prazer que estamos aqui para apresentar nossa segunda convidada do TPM Semanal. Ela é a Maria Eugênya Pacioni, mais conhecida como Mya Pacioni, produtora de humor e dona do blog myapacioni.blogspot.com . Vale a pena conferir o texto abaixo e também o twitter e o blog dela. Não percam tempo! Deliciem-se AGORA!



Como nós somos influenciáveis...

Não vou dizer que "nós mulheres" somos influenciáveis e nem que "os homens" são apenas por não acreditar que isso seja uma característica de gênero. Vou explicar: Todas as pessoas são absurdamente influenciáveis, mesmo sem querer. Daí a famosa expressão "a primeira impressão é a que fica".Mentira. Não é a que fica. Mas é a que mais demoramos pra desarmar.
 Posso ilustrar isso com muitas situações. Por exemplo, o rapaz que acaba de conhecer uma menina num bar e nota que suas unhas estão descascadas ou o cabelo despenteado. Pronto, ele pode já pensar que ela não cuida da aparência e isso pode ser só a ponta do iceberg (ela pode não se depilar, não usar desodorante, não escovar os dentes...). E se ele tiver um pézinho do outro lado do arco-íris (bicha!) vai começar a tentar reparar nessas coisas pra já achar que a menina é uma tremenda porca.
Ok, esse exemplo não colou muito, em vista que a grande maioria dos homens estaria cagando pro esmalte de uma mulher se ela tivesse peitos, bunda e sorriso no lugar.


 Então vamos pra outra situação: o sotaque. Até pouco tempo atrás eu (sim, tô mesmo falando de mim, colocando o meu na reta) costumava achar uma pessoa de sotaque carioca automaticamente a pessoa mais IXCROTA do universo. Sim, era minha forma de mostrar como somos influenciáveis. Eu cumprimentava um(a) carioca e no primeiro "Oin, eu sóu du Ríoun e góxtu dhi práia" daquele jeito meloso e IXCROTO deles e já pensava "caralho que metida/arrogante/babaca/idiota/filhodumaputaarrombado".
Mas bastava uma longa conversa na mesa do bar pra eu quebrar essa impressão (ou não, já conheci cariocas bem ixcrotos, mas até aí também já conheci paulistanos escrotos, gaúchos escrotos, mineiros escrotos, pernambucanos escrotos...).
Essa coisa do sotaque também me influenciava com o sotaque nordestino. Eu já imaginava que a pessoa iria começar a falar errado. Mas isso vem da minha criação, quando eu era pequena eu convivia com muitos nordestinos que haviam vindo pra São Paulo tentar a vida e não tiveram boa formação, então a grande maioria falava pérolas do tipo "pra mim ver", "a nível de", "ele veve fazênu isso"...
Mas lógico, era mais uma idiotice minha por ter sido muito influenciável na infância.
Hoje sotaques são minhas fascinações. Adoro. E antes o sotaque carioca e o nordestino que eram fatores broxantes viraram afrodisíacos de grande escala, por tantos gênios com estes sotaques que convivo todos os dias.
As coisas que mais nos influenciam são algumas das coisas que mais damos valor mas tentamos "não comentar". Porque "papai do céu não deixa". Tipo aparência, consciência política, religião e gosto musical.
Uma pessoa que me chega cantando "Fundo de Quintal" e quer me convencer que leu Dostoiévski e ENTENDEU vai demorar muito pra conseguir. Uma pessoa que entende o humor de gênios como Danilo Gentili, Rafinha Bastos e Os Melhores do Mundo e vem me falar que guarda o sábado e paga o dízimo TAMBÉM vai receber de mim um olhar bem torto.
São incoerências. Grandes incoerências. Mas que infelizmente "ninguém pode falar a respeito", senão o diabinho do moralismo internético do humor do bem vem puxar nossa perna a noite.
 E isso mostra como as nossas influências também estão BEM ligadas a outra coisinha: a hipocrisia.
 Quem tem teto de aço aqui pra poder falar com propriedade que é totalmente coerente? Alô? Ecooo, ecooo...
Quem é você pra julgar a menina de esmalte descascado se ontem mesmo você dormiu com um pijama furado e a mesma meia que passou o dia todo na rua, seu porquinho?
E a moça ali, falando do sotaque do carioca e distribuindo "ah meu, não to inteindeindo" de bandeja na Mooca?
Ou falando da religião alheia, se gabando por ser ateu mas não tendo um pingo de moral pra tratar bem o próprio vizinho não berrando depois da meia noite?
É meu nêgo, somos todos muito influenciáveis. Não tô aqui pra ensinar ninguém mas... A primeira impressão NÃO É a que fica.

 


Maria Eugênya Pacioni
Produtora do Improriso, coordenadora de produção do Bruno Motta, videomaker, editora, redatora e co-fundadora Stand Up Comedy Brasil.




25 comentários inúteis:

  1. só vou avisar, acho que tem vírus no site de vocês, em alguma imagem
    meu antivírus não deixa eu entrar no blog, e fica acusando vírus...
    mesmo assim, tá ótimo como sempre

    ResponderExcluir
  2. Quando comecei a ler o texto e vi falando mal do sotaque carioca, ja pensei, é Cú-ritibana ou Paulista ... afinal sou influenciavel. Mas lendo até o final gostei do texto. Mas minha antipatia por Curitibanos e Paulistas não muda.
    O blog é mt bom, apesar de vcs serem .... heheehe

    ResponderExcluir
  3. ueh...não posso gostar do humor do Rafinha e do Danilo e ser religiosa? Não faz sentido..não entendi.

    ResponderExcluir
  4. @Anonimo: Pode ser religiosa sim, claro. Mas ser religiosa é diferente de pagar o dízimo ou outras besteiras do tipo. Pense bem!

    @Rayssa Gon: Cada um entende o que quiser né... Cabe a cada um julgar o que é 'genialidade'.

    ResponderExcluir
  5. O que vc chama de besteira, pode ter mto significado pra algumas pessoas.´Mas é sua opinião, apenas isso..

    ResponderExcluir
  6. VAMOS PARAR DE DISCUTIR NO MEU BLOG? ahtri hehehe gente, cada um com sua opinião... vcs não se estapeando, tá bom.

    "Em vista que a grande maioria dos homens estaria cagando pro esmalte de uma mulher se ela tivesse peitos" - abrangeu aí 98% dos homens que conheço hahahaa
    Baita texto, Mya! Sou gaúcha e ainda tenho preconceito com sotaque carioca... e devo confessar que apesar de morar em Curitiba, volta e meia o LEITE QUENTE me irrita ao extremo.

    ;)

    ResponderExcluir
  7. hashahashasha... Texto muito boooom!

    Engraçado, sou ALAGOANA, moro na BAHIA, PAGO DÍZIMO e mesmo assim, tenho preconceito com sotaque carioca, contra gente que fala errado e AMO HUMOR DE QUALIDADE, por isso amo o TPM Semanal!

    Que contradiçãoooo! rsrs

    ResponderExcluir
  8. É, já eu sofro nas mãos dos amigos cariocas a cada vez que falo "meu". Mesmo já sem preconceitos influenciados por terceiros, escuto piadas do tipo "não sou seu!". Muito legal o texto, adorei hahahaha

    ResponderExcluir
  9. Talvez sua visão "guarda o sábado e paga o dízimo TAMBÉM" de que uma pessoa assim que gosta do rafinha e afins seja mesmo só uma questão de influência mesmo .. mas bele é uma questão de opnião não uma verdade. Fora isso concordo com seu post muito bom. Amo Tpm semanal meninas

    ResponderExcluir
  10. ôxe, massa teu texto visse? kkkk
    Xerão!!!

    ResponderExcluir
  11. @Caypyrynha "esqueci minha senha huahuahuauha"

    Adorei o texto meninas, apesar de ser Curitibana e graças a Deus não ter o sotaque tão acentuado daki, tenho implicância surreal com sotaque carioca, não sei pq, mas é só o carioca. huahuahuahuauha. Parabéns gurias! "só um adendo" Esse anonimo ai de cima que vá tomar bem no meio do CU-ritibano dele. E cu meu filho, NÃO tem acento.

    ResponderExcluir
  12. Influências, pré-conceitos, incoerencias... que seja... ou que "seje" como diriam mtos paulistas, cariocas, nordestinos, estudados ou não!
    o texto é bom..
    me deixou meio nervosa em alguns momentos, mas ri em outros... coisa bem tipica de TPM...

    bjs
    @-nada... o twitter bloqueou minha conta..

    ResponderExcluir
  13. O blog está muito bom gurias. Muita coisa legal. Sempre leio e curto quase tudo que tem por aqui. Uns 75% na real (piada interna, rs!). E só melhora com a participação da Mya, uma de minhas namoradas Paulista (piada interna 2). Sucesso pra vcs.

    ResponderExcluir
  14. sou do INTERIORRRRRRRRRR de SP entao flo mto "MEU" mas tbm flo "porrrrrrrrrta". Conheço gente q veio do Brasil inteiro; pernabucano quando vc pergunta "ta ai tal coisa" ele responde "ta nao" numa voz calma q parece q a pessoa ta com sono eles nao falam o "ar, er ir..."
    CaRRRpira fla "durro ñ", tem gente daqui de limeira msm q fucha o ENTE, me irrita quando minha amiga fla "AI gENTE o tal menino é lINDO" me irrita escutar isso td dia mas..td bem nao vo sai do foco.
    O sutaque de carioca é msm IXCROTO como o marco luque diz "é siniXXXtro"hsuahsuahsuhaush. um bejao pra vcs ai do blog

    ResponderExcluir
  15. Sou capixaba e não tenho sotaque.
    então, beijos e me liguem quando conseguirem localizar o Espiríto Santo no mapa e encontrarem qual o nosso DDD.

    ResponderExcluir
  16. ah, Mya, obrigada pela contribuição para nosso blog.
    nem preciso mais agradecer, né?
    escreva sempre que quiser!

    ResponderExcluir
  17. faltou vírgulas e coerência. não tão bom como os outros textos.

    ResponderExcluir
  18. faltou vírgulas e coerência. não tão bom como os outros textos.

    ResponderExcluir
  19. tmb nao é assim ne Carol nao fale mal do nosso ES, pelo menos se detenha a falar de Vila Velha já q todo mundo só lembra de Vitoria kkkkk

    ResponderExcluir
  20. uma dica ae pra vcs: convida tbm homens para escrever textos aki, pq tem homens q vem da uma olhada no blog nem le nenhum texto e ja pensa q é blog só de mulher, entende ?
    e tem tantos blogueros bons néh
    ficaadica

    ResponderExcluir
  21. Oi, Anonimo.
    Já temos convidados homens, mas eles demoram mais um pouco para produzir, sabe... aquele velho lance de preliminares...
    mas, aguardem, em breve, textos homísticos aqui também.

    ResponderExcluir
  22. Essa Mya...sempre ótima!!!

    ResponderExcluir
  23. Mya tem o poder de escrever de maneira tal, que você fica preso ao texto e querendo ver o que vai ver em seguida! Não dá pra não ler. Gostei muito do seu posicionamento, inclusive, contra essa coisa que todo mundo diz "fulano é influenciável e beltrano não". Ninguém é tão melhor assim do que o outro.
    E compartilhamos um gosto (você sabe): a paixão por observar fenômenos da linguagem. E ainda bem que você mudou de opinião sobre sotaque nordestino hehe... oxente, o paraíba aqui ficaria triste do contrário.

    Ah, eu ri na parte "E se ele tiver um pézinho do outro lado do arco-íris (bicha!)".

    Boas reflexões.

    ResponderExcluir
  24. Uma pessoa postar um comentário aqui pra dizer que faltam vírgulas... dá licença veio!

    ResponderExcluir

Vai, comenta! Não dói nada!